A experiência soviética é a primeira, na história mundial, de uma sociedade complexa, com as forças produtivas modernas, em que houve um planejamento centralizado, na verdade, um planejamento total. (…)

Na minha opinião, uma vez constituído um poder socialista, com a dominação do bloco de assalariados em um Estado com objetivos socialistas, não se pode ir muito além do ponto a que chegou a própria economia da sociedade burguesa.

Não se deve impor um projeto de planejamento total, como os dirigentes soviéticos tentaram fazer. Na União Soviética, estatizaram toda a produção de bens de consumo. E os bens de consumo que a população comprava tinham preços administrados.

O mercado ali era ficção. Na agricultura, impôs-se a coletivização forçada. O planejamento não só foi total, mas totalitário. Penso que isso deve ser evitado, mesmo em economias tão desenvolvidas como as dos Estados Unidos, do Japão e da Alemanha. (…)

As grandes empresas multinacionais fazem planejamentos para períodos de três a cinco anos. Ora, três a cinco anos é praticamente o tempo dos planos quinquenais soviéticos.

A socialização já está avançada na própria sociedade capitalista. Podemos dar alguns passos à frente, aumentar os prazos, mas não em excesso. Devemos praticar um processo de tentativa e erro, a fim de evitar o tipo de planejamento soviético e caminhar, mais uma vez, para o desastre.

É neste ponto que entra a questão do mercado. O mercado é a forma de divisão social do trabalho e da produção na economia capitalista. É um alocador de recursos, pelo jogo da oferta e da procura. Isto é, ele indica onde é que se deve investir, funcionando como mostrador de preços.

Os apologistas do mercado não levam em conta as crises cíclicas, as depressões, os desperdícios enormes que ele acarreta. Tampouco parecem importar-se com a tendência de centralização da produção, que gera a extorsão da população submetida aos preços dos cartéis e monopólios.

Mas ainda não temos um indicador de preços melhor do que o mercado. E, enquanto não houver alternativa, deveremos apelar, mesmo em uma sociedade socialista, para o mercado. Um mercado regulado pelo planejamento.

Faça seu comentário