Uma importante característica da observação científica é a objetividade, ou seja, a possibilidade de o cientista obter resultados sem que seus sentimentos pessoais estejam envolvidos.

A sociedade humana como objeto de estudo
  1. O “menino selvagem” de Aveyron
  2. As Ciências Sociais
  3. Entender a sociedade em que vivemos
  4. Disciplinas em que se dividem as Ciências Sociais
  5. A longa marcha das Ciências Sociais
  6. Os primeiros sociólogos
  7. A Sociologia na sociedade contemporânea
  8. Objetividade e conhecimento científico

A objetividade é mais difícil de se conseguir em Ciências Sociais do que nas Ciências Exatas. Por exemplo, em Matemática dois mais dois é igual a quatro, seja a soma feita por um católico, um muçulmano ou um ateu. Em contrapartida, no estudo de si mesmos e da sociedade os seres humanos podem se deixar influenciar por seus sentimentos, por ideias preconcebidas, pelas crenças que adotam, pelos valores que aceitam.

Além disso, os cientistas sociais têm também maior dificuldade de submeter suas teses à experimentação. De fato, é muito difícil isolar grandes grupos de pessoas e induzi-los a mudanças para verificar seus resultados, como se faz, por exemplo, em Biologia.

Apesar dessas dificuldades, a Sociologia é perfeitamente capaz de analisar os fatos sociais com objetividade. É essa possibilidade que faz dela uma ciência.

O primeiro passo para entender a Sociologia – como qualquer ciência – é o conhecimento de seus conceitos básicos. Eles definem os fenômenos que fazem parte de seu campo de estudo e diferenciam a Sociologia das outras Ciências Sociais, pois cada uma delas tem seu próprio corpo de conceitos. Como ciência, a Sociologia tem um duplo valor: pode aumentar o conhecimento que o ser humano tem de si mesmo e da sua sociedade, e pode contribuir para a solução de problemas que ele enfrenta.

COMPARTILHE