Cada geração passa por processos de aprendizagem, nos quais assimila a cultura de seu tempo e se torna apta a enriquecer o patrimônio cultural das gerações futuras. É na capacidade que os grupos têm de perpetuar e acrescentar novos valores a cultura que reside a possibilidade de progresso.

Cultura e sociedade
  1. O papel da educação na transmissão da cultura
  2. Identidade cultural
  3. O aspecto material e não-material da cultura
  4. Componentes da cultura
  5. O crescimento do patrimônio cultural
  6. Aculturação: contato e mudança cultural
  7. Contracultura
  8. Socialização e controle social

Todo progresso é resultante da síntese de valores novos com componentes culturais já adquiridos. Desse modo, apesar das mudanças, alguns valores culturais tendem a permanecer, assegurando a continuidade da cultura de uma sociedade entre uma e outra geração. Por mais viva e inventiva que seja uma nova cultura, as gerações não rompem inteiramente com seu passado.

Em geral, o enriquecimento patrimonial de uma cultura se faz por meio de dois processos: a invenção e a difusão. Depois de estudá-los, vamos ver como o desequilíbrio entre os diferentes aspectos da cultura geram o processo conhecido como retardamento cultural.

Invenção e difusão cultural

Em meados do século XIX, o uso do motor a vapor para mover um veículo correndo sabre trilhos criou um meio de transporte que teria importância decisiva no mundo moderno: o trem. Impacto maior ainda foi provocado no fim daquele século pela invenção do automóvel, que era pouco mais que uma carruagem impulsionada por um motor à explosão.

As invenções são geradas pela combinação entre o patrimônio cultural da sociedade e determinadas necessidades sociais. Nenhum inventor parte da estaca zero. Em seu trabalho de criação, ele utiliza a conhecimento acumulado de sua cultura, combinando elementos preexistentes para produzir algo novo.

Assim, invenção é a combinação de traços já existentes, dando como resultado um traço cultural novo. Muitas vezes, como no caso do trem e do automóvel, as invenções acarretam mudanças amplas e profundas em toda a cultura.

Alguns traços culturais, como uma nova moda ou o usa de um equipamento recentemente inventado, difundem-se não só na sociedade em que tiveram origem, mas também entre culturas diferentes, geralmente através dos meios de comunicação (jornais, revistas, televisão, cinema, radio, Internet etc.).

Quando isso ocorre, dizemos que esta havendo um processo de difusão cultural. Pode-se afirmar que a enriquecimento cultural se verifica mais frequentemente por difusão do que por invenção.

Geralmente, a patrimônio de uma cultura cresce de geração em geração. As culturas se desenvolvem incorporando traços culturais em maior número do que aqueles que caem em desuso.

Assim, a cultura e o somatório de todas as realizações das gerações passadas que se sucederam no tempo, mais as realizações da geração presente.

Retardamento cultural

As mudanças dos diversos componentes da cultura não acontecem no mesmo ritmo: alguns se transformam mais rapidamente do que outros. As invenções, por exemplo, acarretam mudanças mais aceleradas na cultura material do que na cultura não material: os instrumentos as máquinas e as técnicas mudam mais rapidamente do que a religião, os padrões familiares e a educação.

Essa diferença de ritmo provoca descompassos entre os diversos componentes da cultura. A introdução da pílula anticoncepcional na década de 1960, por exemplo, encontrou grande resistência por parte de setores religiosos, enquanto milhões de mulheres em todo o mundo já se beneficiavam com a invenção.

Toda vez que há um desequilíbrio entre os diferentes aspectos da cultura, pode-se falar de retardamento ou demora cultural.

COMPARTILHE

Faça seu comentário