O ministro da Educação, Cristovam Buarque, lança hoje o Mapa da Exclusão Educacional. O estudo do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), feito a partir de dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do Censo Educacional do Ministério da Educação, mostra o número de crianças de sete a catorze anos que estão fora das escolas em cada Estado.

Segundo o mapa, no Brasil, 1,4 milhão de crianças, ou 5,5% da população nessa faixa etária (sete a catorze anos), para qual o ensino é obrigatório, não frequentam as salas de aula.

O pior índice é o do Amazonas: 16,8% das crianças do Estado, ou 92,8 mil, estão fora da escola. O melhor, o Distrito Federal, com apenas 2,3% (7.200) de crianças excluídas, seguido por Rio Grande do Sul, com 2,7% (39 mil) e São Paulo, com 3,2% (168,7 mil).

De acordo com dados divulgados pelo IBGE, a situação é pior na faixa dos sete anos: 7,7% das crianças em todo o país ainda não começaram a estudar. A situação mais crítica ocorre em alguns estados do Norte: em Rondônia, a taxa é de 28% ; no Acre, 24,5%.

O quadro também não é nada favorável quando se tomam os dados do último Censo sobre a população de quatro a seis anos, que deveria frequentar a pré-escola. Cerca de 38,6% dessas crianças, o equivalente a 3,8 milhões, não recebem atendimento escolar.

Isso é pior para a faixa de 0 a 3 anos: apenas 9,4% frequentam creches. As divulgações anteriores do Censo já mostraram que, de 1991 a 2000, a escolarização aumentou em todas as faixas etárias. O analfabetismo, para a população com mais de 15 anos, caiu de 19,4% em 1991 para 12,9% em 2000. Para Ana Lúcia Saboia, chefe da Divisão de Indicadores Sociais do IBGE, a preocupação com as crianças menores se deve ao fato de que, muitas vezes, a criança de sete anos que nunca foi à escola antes sente dificuldades no aprendizado. “A situação do pré-escolar é muito ruim. Os estudos mostram que o ingresso com quatro anos é fundamental para o desenvolvimento cognitivo”, afirma.

Estudo feito por ela com base em dados do Censo mostra que o Brasil tem 224 municípios com 100% das crianças de quatro anos fora da escola.

Faça seu comentário