Procurando o verbete grupo social no Novo dicionário Aurélio, encontramos a seguinte definição: “Forma básica da associação humana; agregado social que tem uma entidade [individualidade] e vida própria, e se considera como um todo, com suas tradições morais e materiais”.

Os agrupamentos sociais
  1. Grupo social
  2. Agregados sociais
  3. Mecanismos de sustentação dos grupos sociais
  4. Sociologia da juventude
  5. Sistema de status e papéis sociais
  6. Estrutura e organização social

Para o psicanalista argentino José Bleger, “um grupo é um conjunto de pessoas que entram em interação, mas, além disso, o grupo é, fundamentalmente, uma sociabilidade estabelecida”.

Complementando o conceito de Bleger sobre o que é um grupo social, o filósofo francês Jean-Paul Sartre afirma que “enquanto não se estabelecer a interação não existe grupo, há somente uma serialidade, em que cada indivíduo é equivalente a outro e todos constituem distinção entre si”. (Um exemplo de serialidade são pessoas numa fila de ônibus ou de cinema. Elas estão juntas mais não interagem, pois não se comunicam entre si. Não formam, portanto, um grupo.)

Seja qual for a definição, uma coisa é certa: grupo social sempre significa a reunião de pessoas que estão mutuamente em interação (duas pessoas já podem formar um grupo). A partir daí, cada ciência amplia o conceito de acordo com o objeto e objetivo de seus estudos.

Para a Sociologia, grupo social é toda reunião mais ou menos estável de duas ou mais pessoas associadas pela interação. Devido à interação social, os grupos têm de manter alguma forma de organização, no sentido de realizar ações conjuntas de interesse comum a todos os seus membros.

Os grupos sociais apresentam normas, hábitos e costumes próprios, divisão de funções e posições sociais definidas. Como exemplos podemos apontar a família, a escola, a Igreja, o clube, a nação etc.

Principais grupos sociais

Ao longo da vida, as pessoas participam geralmente de vários grupos sociais. Eis alguns deles:

  • grupo familial – representado pela família;
  • grupo vicinal – formado pela vizinhança;
  • grupo educativo – desenvolvido na escola;
  • grupo religioso – representado pelas instituições religiosas (católica, evangélica, espírita etc.);
  • grupo de lazer – formado por clubes, associações esportivas, grupos de teatro etc.;
  • grupo profissional – constituído por profissionais que trabalham em empresas, escritórios, lojas etc.;
  • grupo político – formado pelos militantes de um partido político, por integrantes de organismos do Estado etc.

Principais características dos grupos sociais

Os grupos sociais se caracterizam por ter:

  • pluralidade de indivíduos – grupo dá ideia de algo coletivo: há sempre mais de uma pessoa no grupo;
  • interação social – para que haja grupo, é preciso que os indivíduos interajam uns com os outros em seu interior;
  • organização – todo grupo, para funcionar bem, precisa de uma certa ordem interna;
  • objetividade e exterioridade – os grupos sociais são superiores e exteriores ao indivíduo, isto é, quando uma pessoa entra no grupo, ele já existe; quando sai, ele continua a existir;
  • conteúdo intencional ou objetivo comum – os membros de um grupo unem-se em torno de certos princípios ou valores para atingir um objetivo comum; quando uma parte deles coloca em dúvida algum desses princípios, o grupo se desagrega ou sofre divisões;
  • consciência grupal ou sentimento de “nós” – são as maneiras de pensar, sentir e agir próprias do grupo; existe um sentimento mais ou menos forte de compartilhamento de uma série de ideias, pensamentos e modos de agir;
  • continuidade – as interações passageiras não chegam a formar grupos sociais estáveis; para isso, é necessário que as interações tenham certa duração, como acontece, por exemplo, com a família, a escola, a Igreja etc.; mas há grupos de duração efêmera, que aparecem e desaparecem com facilidade, como os mutirões para a construção de casas populares.

Tipos de grupos sociais

No texto “Processos sociais“, podemos ver a classificação dos contatos sociais em primários e secundários. Da mesma forma, os grupos sociais podem ser classificados em:

  • grupos primários – aqueles em que predominam os contatos primários, isto é, os contatos pessoais diretos; exemplos: a família, os vizinhos, o grupo de lazer;
  • grupos secundários – grupos sociais mais complexos, como as igrejas e os partidos políticos, em que predominam os contatos secundários; os contatos sociais, nesse caso, realizam-se de maneira pessoal e direta, mas sem intimidade; ou de maneira indireta, por meio de cartas, Internet etc.;
  • grupos intermediários – aqueles em que se alternam e se complementam as duas formas de contatos sociais: primários e secundários; um exemplo desse tipo de grupo é a escola.
A família é um dos grupos sociais primários de maior importância no processo de socialização dos indivíduos. Na imagem, os Simpsons, personagens do desenho animado criado pelo norte-americano Matt Groening que satiriza a típica família de classe média dos Estados Unidos.
A família é um dos grupos sociais primários de maior importância no processo de socialização dos indivíduos. Na imagem, os Simpsons, personagens do desenho animado criado pelo norte-americano Matt Groening que satiriza a típica família de classe média dos Estados Unidos.

O texto “A gangue com grife“, fala de um tipo de grupo comum nas grandes cidades e das interações sociais que se estabelecem entre seus membros, que são de interesse da Sociologia.

COMPARTILHE