Gilberto Freyre (1900-1987).
Gilberto Freyre (1900-1987).

Antropólogo, sociólogo e escritor, Gilberto Freyre nasceu no Recife, Pernambuco em 1900. Fez seus estudos universitários nos Estados Unidos, inicialmente na Universidade de Baylor e depois na Universidade de Columbia, onde defendeu, em 1922, a tese Social life in Brazil in the middle of 19th century (Vida social no Brasil em meados do século XIX).

Grandes mestres das Ciências Sociais
  1. Jean-Jacques Rousseau
  2. Auguste Comte
  3. Karl Marx
  4. Dávid Émile Durkheim
  5. Max Weber
  6. Bronislaw Kasper Malinowski
  7. Karl Mannheim
  8. Charles Wright Mills
  9. Claude Lévi-Strauss
  10. Gilberto Freyre
  11. Florestan Fernandes
  12. Alain Touraine

Foi o pioneiro da abordagem cultural no estudo da formação da sociedade brasileira. Em 1933, publicou Casa-grande e senzala, primeira parte de uma obra que se chamaria Introdução à história da sociedade patriarcal no Brasil (as outras partes foram Sobrados e mocambos, de 1936, e Ordem e progresso, publicada em 1959).

Casa-grande e senzala é considerada sua obra máxima. Nela, renovou a teoria social, apresentando ideias que se contrapunham ao racismo então vigente, que atribuía o atraso da sociedade brasileira à presença de negros e índios e à sua mistura com europeus na formação de nosso povo, gerando o mestiço.

Na literatura sociológica anterior a Gilberto Freyre, o mestiço era considerado membro de uma raça degenerada. Freyre, ao contrário, atribuía a riqueza e a força cultural dos brasileiros justamente à mistura de raças; ele valorizou o mestiço e a contribuição africana e indígena na formação da cultura brasileira. Além disso, foi um pioneiro na abordagem de alguns temas que, décadas mais tarde, teriam enorme popularidade na chamada “história das mentalidades” – a moda, os costumes, a vida íntima e sexual, a alimentação, a morte etc.

Fundador do Instituto (atual Fundação) Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais, com sede no Recife, Gilberto Freyre escreveu oitenta livros de estudos sociológicos e antropológicos, além de vários volumes de ficção e poesia.

Gilberto de Melo Freyre morreu no Recife, no dia 18 de julho de 1987.

Principais obras

  • Casa-Grande & Senzala, 1933
  • Guia Prático, Histórico e Sentimental da Cidade do Recife, 1934
  • Sobrados e Mucambos, 1936
  • Nordeste: Aspectos da Influência da Cana Sobre a Vida e a Paisagem…, 1937
  • Assucar, 1939
  • Olinda, 1939
  • O mundo que o português criou, 1940
  • A história de um engenheiro francês no Brasil,1941
  • Problemas brasileiros de antropologia, 1943
  • Sociologia, 1945
  • Interpretação do Brasil, 1947
  • Ingleses no Brasil, 1948
  • Ordem e Progresso, 1957
  • O Recife sim, Recife não, 1960
  • Os escravos nos anúncios de jornais brasileiros do século XIX, 1963
  • Vida social no Brasil nos meados do século XIX, 1964
  • Brasis, Brasil e Brasília, 1968
  • O brasileiro entre os outros hispanos, 1975
  • Homens, engenharias e rumos sociais, 1987

Prêmios e títulos

  • Prêmio da Sociedade Filipe d’Oliveira, Rio, 1934
  • Prêmio Anisfield-Wolf, USA, 1957
  • Prêmio de Excelência Literária, da Academia Paulista de Letras, 1961
  • Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras (conjunto de obras), 1962
  • Prêmio Moinho Santista de “Ciências Sociais em Geral”, 1964
  • Prêmio Aspen, do Instituto Aspen, USA, 1967
  • Prêmio Internacional La Madonnina, Itália, 1969
  • Sir – “Cavaleiro Comandante do Império Britânico”, distinção conferida pela Rainha da Inglaterra, 1971
  • Medalha Joaquim Nabuco, Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco, 1972
  • Troféu Novo Mundo, por “obras notáveis em Sociologia e História”, São Paulo – Troféu Diários Associados, por “maior distinção atual em Artes Pláticas” – Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, 1973
  • Vencedor do Prêmio Esso em 2005
  • Medalha de Ouro José Vasconcelos, Frente de Afirmación Hispanista de México, 1974
  • Educador do Ano, Sindicato dos Professores do Ensino Primário e Secundário em Pernambuco e Associação dos Professores do Ensino Oficial, 1974
  • Medalha Massangana, Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais, 1974
  • Grã-cruz Andrés Bello da Venezela, 1978
  • Grã-cruz da Ordem do Mérito dos Guararapes do Estado de Pernambuco, 1978
  • Prêmio Brasília de Literatura para Conjunto de Obras, Fundação Cultural do Distrito Federal, 1979
  • Prêmio Moinho Recife, 1980
  • Medalha da Ordem do Ipiranga do Estado de São Paulo, 1980
  • Medalha Biblioteca Nacional, 1984
  • Grã-cruz de D. Alfonso, El Sabio, Espanha, 1983
  • Grã-cruz de Santiago da Espada, Portugal, 1983
  • Grã-cruz da Ordem do Mérito Capibaribe da Cidade do Recife, 1985
  • Grande Oficial da Legião de Honra, França, 2008
COMPARTILHE

Faça seu comentário