A cultura é um todo orgânico, um sistema, um conjunto de partes que se relacionam estreitamente. Para melhor compreender v, vamos estudar alguns de seus componentes.

Cultura e sociedade
  1. O papel da educação na transmissão da cultura
  2. Identidade cultural
  3. O aspecto material e não-material da cultura
  4. Componentes da cultura
  5. O crescimento do patrimônio cultural
  6. Aculturação: contato e mudança cultural
  7. Contracultura
  8. Socialização e controle social

Os principais aspectos de uma cultura são: os traços culturais, o complexo cultural, a área cultural, o padrão cultural e a subcultura.

Traços culturais

Você já viu alguém dançando frevo? Trata-se de um gênero musical típico de Pernambuco e do carnaval do Recife e de Olinda. Pois bem, cada passo do frevo é um traço cultural dessa manifestação de cultura popular que é o carnaval pernambucano (o mesmo se pode dizer do samba no Rio de Janeiro).

Traço cultural é o menor componente representativo de uma cultura. Ele pode ser um objeto material – por exemplo, o cocar de penas usado por nossos índios. Neste caso, ele próprio é constituído de partes menores – as penas usadas na confecção do cocar, por exemplo. Entretanto, as penas de pássaro só passam a ser um traço cultural quando reunidas, em nosso exemplo, na forma de cocar.

Um carro, um lápis, uma capa, uma pulseira, um computador são outros exemplos de traços culturais. Os traços culturais são os componentes mais simples da cultura. Eles são as unidades de uma cultura.

É necessário ressaltar que os traços culturais só tem significado quando considerados dentro de uma cultura específica. Um colar pode ser um simples adorno para determinado grupo e para outro ter um significado mágico ou religioso.

Para os fiéis de religiões afro-brasileiras como o candomblé, por exemplo, as cores dos colares usados dependem da divindade cultuada pela pessoa. De acordo com a crença, eles dão proteção a quem os utiliza. Portanto, só quando consideramos o conjunto da cultura é que podemos entender um determinado traço cultural. No exemplo do frevo de Pernambuco, determinado passo só pode ser entendido como traço cultural quando integrado ao todo orgânico daquela cultura.

Complexo cultural

A combinação dos traços culturais em torno de uma atividade básica forma um complexo cultural.

Por exemplo, o carnaval no Brasil é um complexo cultural que reúne um grupo de traços culturais relacionados uns com os outros: carros alegóricos, música, dança, instrumentos musicais, trios elétricos, desfiles, orquestras de frevo, baterias de escolas de samba, fantasias etc. Da mesma forma, o futebol é um complexo cultural que pode ser desmembrado em vários traços culturais: o campo, a bola, o juiz, os jogadores, a torcida, as regras do jogo etc.

Área cultural

A religião em que predominam determinados complexos culturais forma uma área cultural. Esta é, portanto, o espaço geográfico no qual se manifesta uma certa cultura. Assim, os grupos humanos localizados em determinada área cultural apresentam grandes semelhanças quanto aos traços e complexos culturais.

Quando diversas culturas, de diferentes origens, se encontram em uma mesma área cultural, e entre elas se desenvolve uma relação de simbiose e respeito mútuo, temos uma situação multicultural.

No Brasil não temos ainda uma situação multicultural. Existem, sim, miscigenação racial e sincretismo cultural, mas ainda não se pode falar em multiculturalismo, pois convivemos com manifestações de racismo, preconceito e discriminação. Apesar disso, é inegável que a miscigenação deu origem no Brasil a uma fusão de culturas, como podemos ver no texto “Os mil tons da aquarela cultural do Brasil“.

Padrão cultural

Padrão cultural é um conjunto de normas que rege o comportamento dos indivíduos de determinada cultura ou sociedade. Em outras palavras: quando os membros de uma sociedade agem de uma mesma forma, estão expressando os padrões culturais do grupo. Por exemplo, o casamento monogâmico é um dos padrões culturais da sociedade brasileira.

Subcultura

No interior de uma cultura podem aparecer diferenças significativas, caracterizando a existência de uma subcultura. Assim, por exemplo, há comunidades no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, nas quais certos costumes e valores se diferenciam claramente dos praticados em outras regiões do país. Em algumas dessas comunidades, as pessoas se comunicam não só em português, mas também em idiomas europeus, como o alemão.

Isso acontece devido à presença nessas áreas de imigrantes de origem europeia – principalmente italianos e alemães – que ali se instalaram no final do século XIX e que, por seu isolamento, mantiveram traços culturais dos países de origem: hábitos alimentares, festas típicas e, em alguns casos, até o idioma materno. Temos, assim, uma subcultura regional no quadro mais amplo da cultura brasileira.

A ocorrência de subculturas não se limita a diferenças regionais. Também pode se verificar na relação entre gerações. Às vezes, por exemplo, os jovens criam costumes e modos de vida radicalmente distintos da norma adulta. Por isso, alguns autores falam da existência de uma subcultura juvenil.

Exemplo de subcultura juvenil são as chamadas tribos urbanas: punks, góticos, skinheads etc. Cada membro de uma tribo se identifica pelos símbolos comuns, como o vestuário e o linguajar peculiares que caracterizam o espírito do grupo.

COMPARTILHE

Faça seu comentário