Resumos de Livros

Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres, de Clarice Lispector, foi publicado em 1969. O romance narra o envolvimento amoroso entre duas pessoas: Ulisses e Lóri. A obra é considerada um romance intimista em que Lóri, a protagonista, busca sua individualidade em meio a tantas máscaras usadas pelas pessoas.

O caminho de aprendizagem de Lóri afirma suas capacidades como mulher, de modo que aprender sobre o amor e o prazer resulta na aprendizagem sobre si mesmo e sobre a vida. A protagonista conhece o seu eu que estava perdido em meio a tanto preconceito no que concerne ao amor e ao prazer feminino que à mulher é mais que permitido pelo mundo masculino, mas um direito único e intransferível.

Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres narra o processo de amadurecimento de Lóri, portanto, pode ser considerado como um romance de formação feminino, em que para aprender a personagem precisou desaprender a vergonha que tinha sobre o próprio corpo e sobre a proibição do prazer.

Em vários trechos do romance fica claro que o único caminho para a felicidade é o aprendizado. Essa busca da protagonista passa por sua percepção do que está a sua volta e do que ocorre em seu íntimo, para tanto, sua capacidade e experiência em capturar cada instante.

Resumo

Lóri é professora primária e mora no Rio de Janeiro. Sua família era rica, mas perdeu parte da fortuna depois da morte da mãe de Lóri. A protagonista comprou um apartamento e recebe uma mesada do pai, fato que a permite viver melhor do que as possibilidades de professora. Tem quatro irmãos, mas como é a única filha, tem afirmada vantagem com o pai que mora em Campos, interior do estado.

No Rio de Janeiro, Lóri conhece Ulisses, professor de filosofia e homem maduro, que lhe ofereceu uma carona enquanto ela aguardava um táxi. Mesmo tendo algumas experiências amorosas anteriores, Lóri passa a amar aquele homem maduro e equilibrado. Entretanto, Ulisses espera que Lóri aprenda a felicidade e o amor para enfim se entregarem um ao outro, então, ele promete esperá-la.

Após uma longa, dolorida, solitária e angustiante espera a protagonista finalmente se sente capaz para procurar Ulisses na casa dele para se entregarem mutuamente um ao outro.

Estrutura

O foco narrativo está em terceira pessoa; o discurso indireto livre é usado pelo narrador como forma de expor os pensamentos e as angústias de Lóri.

O tempo é indeterminado, psicológico, porém há pistas sutis da opressão característica do final dos anos sessenta no Brasil.

O espaço que dá vida ao romance é o Rio de Janeiro, fato perceptível pela transitividade das personagens entre restaurantes, feiras, bairros, praias etc.

As personagens da obra retomam as figuras homéricas de Ulisses, herói da Ilíada, e de Lóri, a sereia de Odisseia, cujo nome remete à Loreley, personagem da mitologia germânica.

Estilo de época

O papel de Clarice Lispector na literatura brasileira é inquestionável, visto que ela renovou o que se tinha na literatura até sua estreia em 1944. A escritora fugiu dos moldes tradicionais aqui praticados e recebeu influência de autores como Virginia Woolf, James Joyce e Katherine Mansfield. Clarice possuía uma habilidade incrível em mesclar o romanesco com a prosa poesia, acrescentando doses existencialistas e renovações linguísticas.

Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres pertence à terceira geração do Modernismo brasileiro ou geração de 45. Conheça as características mais importantes para essa classificação: emprego de fluxo de consciência (o narrador deixa o pensamento fluir de forma livre para alcançar o inconsciente da personagem); sondagem psicológica (profunda análise dos estados de alma das personagens); emprego de monólogo interior; pesquisa da linguagem (abolição de construções sintáticas e pontuações tradicionais); anulação dos limites espaço-temporais; emprego da metalinguagem (o discurso visa o seu próprio fazer); postura anticonvencional (uso de estilo caótico); emprego do discurso indireto livre.

COMPARTILHE