Resumos de Livros

O personagem Raimundo Benvindo Silva é um humilde revisor de textos que, ao revisar um livro sobre a história do cerco de Lisboa, acaba cometendo propositalmente um erro. Após uma noite conturbada, Raimundo fica inquieto e acrescenta a palavra “não” a uma frase e, desta forma, altera o fato histórico que revela o apoio dos cruzados aos portugueses – fator decisivo para garantir o cerco e a consequente queda de Lisboa. Raimundo envia o texto à editora para poder ser impresso. Quando o erro é descoberto, a editora resolve o problema acrescentando uma errata.

Como Raimundo era um revisor experiente, a editora não o demite, mas contrata uma senhora para supervisionar seu trabalho, Maria Sara. Ela tenta entender a causa daquele erro, percebe que Raimundo não irá admitir a alteração e acaba o incentivando a reescrever aquele episódio da história de Portugal. Raimundo se anima e resolve reescrever o episódio da tomada de Lisboa sem a participação dos cruzados. Enquanto reescreve a história, acaba também iniciando um relacionamento amoroso com Maria Sara.

O herói da história que Raimundo escreve é um soldado chamado Mogueime, ele se destaca nas lutas, é humano, valente e bondoso. Ao final, ele passa a assumir a condição de narrador da história. Mogueime apaixona-se por Ouroana, mas fica com dúvidas se esta aceitará o seu amor, por ele ser um simples soldado. A história que Raimundo conta se assemelha à história dele com Maria Sara. Raimundo consegue terminar de escrever sua narrativa e fica junto de Maria Sara.

Contexto

Sobre o autor

José Saramago foi um escritor português que se consagrou mundialmente, inclusive no Brasil, onde se tornou um dos autores mais lidos. Com sua originalidade, deu grande visibilidade à prosa em língua portuguesa. Ganhou o Prêmio Camões em 1995 e em 1998 foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura.

Importância do livro

Raimundo Benvindo Silva, o personagem principal, altera um fato histórico de um livro que ele deveria apenas revisar e desencadeia uma reflexão sobre a proximidade do texto histórico e do texto literário, sendo esta a mais importante discussão trazida pela obra. A história se desenrola em diferentes planos: a história real do cerco de Lisboa; a história criada por Raimundo, gerada a partir da alteração; e a do narrador, a única a que temos acesso de fato. A pontuação e a narração em diferentes planos são as características mais inusitadas da obra.

Período histórico

História do Cerco de Lisboa retoma um fato histórico de Portugal, misturando o evento real e a ficção. O livro, que trata do fato ocorrido em 1147, foi lançado em 1989.

Análise

Na obra, o personagem Raimundo Silva, revisor de livros, introduz no livro História do Cerco de Lisboa um erro proposital. O acréscimo do “não” em um livro de história faz nascer a ficção. Com isso, Saramago propõe uma reflexão sobre o papel do escritor.

Esse ato transforma totalmente o cotidiano do personagem. Raimundo tinha uma vida pacata e um serviço um pouco monótono, sempre revisando histórias que tinham sido criadas por outros autores. Esse “não” representa uma virada em sua vida, pois a alteração lhe possibilitou a criação da sua própria história. E também uma mudança no aspecto pessoal, já que aparece Maria Sara, com quem inicia um romance.

Podemos afirmar que, além do cerco histórico da cidade de Lisboa, também outros cercos vão caindo ao longo da história: o cerco que lhe impedia de ser autor e o que impedia de comunicar-se com a mulher de quem gostava. Assim, a obra representa a descoberta da palavra e da escrita como instrumento de autoconhecimento do ser humano.

Além disso, vemos também o questionamento sobre o que seria a escrita histórica. Na verdade, a escrita, mesmo quando não tem intenções ficcionais, é proveniente da interpretação do passado e da visão de mundo de quem escreve.  Sendo assim, a história não é colocada como uma verdade absoluta, ela é sempre contada de acordo com a escolha, visão e interpretação de quem escreve.

Ao narrar a história de amor de Mogueime e Ouroana, Saramago põe foco na questão mais singela que não foi privilegiada no registro formal, o que também contribui para a reflexão sobre o registro histórico, mostrando que existe uma escolha por parte do autor. A história de amor vivida há séculos espelha a história de Raimundo e Maria Sara.

Personagens

  • Raimundo Benvindo Silva: é um solteirão, homem simples, um pouco solitário, que tem uma vida tranquila trabalhando como revisor de textos. Até o dia em que decide alterar a História do cerco de Lisboa e sua vida passa a se agitar com o romance com Maria Sara e com a escrita da nova história criada a partir dessa alteração.
  • O Historiador: é amigo de Raimundo e autor do livro sobre a História do Cerco de Lisboa.
  • O Costa: trabalha na editora que recebe os livros de Raimundo, é responsável pela produção. Depois da alteração, ele fica desconfiado e é um pouco duro com Raimundo.
  • Maria Sara: uma mulher de pulso firme que foi contratada pela editora para fazer a revisão final dos livros. A princípio é dura com Raimundo e chega a se irritar com ele ao tentar descobrir o que causou o erro, mas depois ficam próximos. Maria Sara é quem incentiva Raimundo a escrever a história a partir da alteração. Vive com Raimundo um romance.
  • O Diretor Literário: é quem recebe Raimundo na editora após identificarem a alteração. Percebe que o “não” foi colocado propositalmente pela forma como foi escrito. Raimundo acha que será despedido por ele, mas considerando os anos de bons serviços prestados, o diretor mantém Raimundo, alertando que ficariam atentos aos próximos trabalhos.
  • Senhora Maria (a mulher-a-dias): é a empregada doméstica de Raimundo. Única presença feminina em sua casa antes da chegada de Maria Sara em sua vida.
COMPARTILHE

Faça seu comentário