Resumos de Livros

Amar, verbo intransitivo, de Mário de Andrade, conta a passagem de uma suposta professora de Alemão à casa da família Sousa – uma família católica, mas cheia de mistérios e contradições. O enredo começa quando Sousa Costa contrata Elza para ficar em sua casa para ser professora do seu filho. Elza muda-se então para a casa, se fazendo passar por professora de alemão. Porém, a sua verdadeira missão é ensinar a arte de amar para Carlos, filho mais velho de Sousa e ainda inexperiente.

Elza, que a partir de então passa a chamar-se de Fräulen, começa a praticar aulas de alemão com Carlos e suas irmãs. No começo, Carlos não se anima com as aulas e não se aplica, pois ainda não mostra interesse por Fräulen, o que a deixa preocupada, já que nos seus trabalhos anteriores os meninos mostravam interesse mais rapidamente. Mas ele, ao reparar a inexplicável beleza de Fräulen, começa a se interessar pelas aulas e pela professora. Quando Fräulen percebe esse interesse de Carlos, regride em suas insinuações, já que seria essa a regra para fazer nascer o amor. Com esse interesse, Carlos passa a modificar sua postura, ficando mais em casa, e pede para que Fräulen lhe ensine piano e até a costurar, para mais tempo ficar ao lado dela.

Fräulen parece fazer parte da família de tão íntima que se torna de todos os membros. Entretanto, D. Laura ao perceber o interesse de Carlos pela professora e, sem saber da história, pede à Fräulen que deixe a casa. Fräulen vai até Sousa para perguntar o porquê que não contara a D. Laura o verdadeiro motivo de sua estadia na casa. Sousa conta tudo para D. Laura. Porém, Fräulen, por orgulho, decide ir embora. Entretanto, ela não queria e sofre com isso; não por amor, mas por não ter rumo. D. Laura e Sousa iniciam uma discussão sobre a permanência ou não de Fräulen na casa. Mesmo sem muito interesse de ambos, Sousa pede a Fräulen que fique e ela aceita.

Fräulen, com o consentimento agora de D. Laura, insinua-se durante a aula mais diretamente para Carlos. Ele hesita, por não saber o que fazer. Porém, ele pede para ela se aproximar novamente e a beija. Carlos vai à noite ao quarto de Fräulen e os dois tem a primeira noite de amor, que se repete algumas vezes até que Sousa, D. Laura e Fräulen decidem que o romance deve acabar de uma maneira trágica: com um susto. D. Laura suspira; já estaria acostumada com a presença de Fräulen na casa. O dia então chega; Carlos estava no quarto de Fräulen quando Sousa e D. Laura os flagram. A primeira reação de Carlos é afirmar que se precisar, ele casa. Sousa conta a verdadeira intenção com que Fräulen foi contratada. Carlos se assusta com a possibilidade de Fräulen ter ficado grávida, mesmo ela não estando. Mesmo assim, após toda a revelação, Carlos vai procurar Fräulen em seu quarto. Ela não abre a porta. Na hora de ir embora, Fräulen pede para se despedir de Carlos. Ao se despedir, ela o beijou na testa, num sinal de respeito e chora. Carlos fica diferente após a partida de Fräulen – tornara-se homem. O sofrimento causado pela partida de Fräulen demora muito para passar. Mas passa. Carlos vai ao teatro, conversa com amigos, segue sua vida. Depois de anos, se reencontram de longe no carnaval; Carlos acena para Fräulen, mas sem sentimentos.

Contexto

Sobre o autor

Em 1893 nasce em São Paulo Mário de Andrade. Além de romancista, Mário também fez inúmeras pesquisas sobre o folclore brasileiro, foi professor de música e um dos maiores poetas da literatura brasileira. Organizou em 1922 a Semana de Arte Moderna, que busca as raízes e caminhos para a literatura nacional. No mesmo ano publica Pauliceira Desvairada, que é considerada o início das obras modernistas. Além dessa obra, outro marco na carreira de escritor foi a publicação de Macunaíma, em 1928. Quando vivo, não foi reconhecido devido a sua postura crítica diante do regime da ditadura. Apenas anos depois foi justamente reconhecido. Morreu em 1945.

Importância do livro

Publicado em 1927, Amar, verbo intransitivo recebeu muitas críticas por tratar de um assunto polêmico que era vivido pela sociedade em geral, mas não era discutido claramente. Com críticas sociais e comportamentais, a obra narra o envolvimento de um jovem de família de posição social com uma alemã mais velha contratada, chocando a sociedade e transformando Mário de Andrade num alvo para críticas. Anos depois e até os dias atuais o livro é lido, tanto pelo sua qualidade como pela sua irreverência e pioneirismo.

Período histórico

O livro Amar, verbo intransitivo foi escrito entre o período de 1923 e 1924 por Mário de Andrade e pertence a chamada primeira fase do Modernismo brasileiro. Os vanguardistas da literatura modernista tinham como objetivo o término de vestígios parnasianos e simbolistas. Os modernistas buscavam reafirmar a nacionalidade e através de inovações linguísticas, lançaram novos caminhos para a literatura brasileira.

Análise

Amar, verbo intransitivo, obra do modernista Mário de Andrade, é transgressor à sua época por várias características. Uma delas é a ambiguidade que permeia todo o livro; começando pelo seu título. Amar, sendo um verbo transitivo, apresenta para o narrador outro significado; é intransitivo. Fräulen desperta o amor de Carlos para que ele pudesse aprender a amar, não importando a quem, ou que isso tudo fosse uma invenção. Além disso, o subtítulo do livro é Idílio, onde os enamorados se amam reciprocamente, o que não ocorre no livro, já que Fräulen não expressa nenhum sentimento maior por Carlos.

Outro ponto imprescindível para observar é o emprego da linguagem coloquial utilizada pelo autor já na década de 30. O uso de pontuação é de acordo com a necessidade e intenção do autor, que não segue fielmente a regras gramaticais. Além disso, apesar de o narrador ser em terceira pessoa e conhecedor dos sentimentos e ações dos personagens, o autor se manifesta diretamente no livro através de pausas no enredo para dialogar diretamente com o leitor. Há discussões sobre temas sociais, como as diferenças comportamentais entre alemães e brasileiros, há também reflexões sobre a língua portuguesa e questionamentos de quantos leitores o livro teria.

Os personagens do livro possuem características insignificantes, ou seja, nem qualidades nem defeitos que chamem a atenção. Além disso, se preocupam com os preceitos da sociedade em que vivem; muitas vezes mais do que a realidade. Fräulen aparece como uma mulher alemã de características ímpares, que leva sua profissão de “professora do amor” com dignidade e orgulho. Apesar de ser uma mulher fria e calculista, Fräulen sonha imaginando um amor perfeito e por ser isso impossível, não deseja viver um amor real. Já Carlos é um menino inexperiente que desabrocha pro amor com a chegada de Fräulen. Sem saber da verdadeira história, se envolve e nutre um amor puro, inconsequente e fugaz. Quando Sousa Costa conta para seu filho a finalidade que Fräulen fora contratada e ela vai embora da casa, Carlos sofre durante bastante tempo. Porém, como ainda é jovem e incentivado pelo pai, começa a sair com seus amigos e a se divertir. Esquece o sentimento por Fräulen.

Personagens

  • Sousa Costa: patriarca da família. Possui um passado misterioso – cheio de segredos. Preocupado com o filho, contrata Elza para ensiná-lo a tomar cuidado com os perigos que a vida pode oferecer no ramo do amor.
  • D. Laura: Possui também seus mistérios antigos. É mãe dedicada e preocupada com seus filhos, e ao descobrir que seu marido contratara Elza para iniciar sexualmente Carlos, pensa que é o melhor para ele nesse momento e concorda com a decisão do marido.
  • Fräulen Elza: Alemã, com 35 anos, é contratada como suposta governanta da casa. Porém, sua verdadeira missão é fazer com que Carlos inicie sua vida sexual, passando por aprendizados que lhe servirão para sua vida com outras meninas.
  • Carlos: Com 16 anos, possui um lado infantil, onde brinca com suas irmãs mais novas e é retratado a todo tempo pelo narrador como machucador. Após a experiência com Fräulen, amadurece bastante e encerra o livro como um jovem maduro, pertencente e praticante da sociedade burguesa.
  • Aldina: irmã mais nova de Carlos. Tem 6 anos.
  • Maria Luiza: está sempre doente. Durante uma de suas doenças, Fräulen cuida dela como se fosse sua mãe. Tem 13 anos.
  • Laurita: irmã de Carlos, tem 8 anos.
  • Tanaka: criada da casa.
COMPARTILHE

Faça seu comentário