Resumos de Livros

O livro A faca de dois gumes de Fernando Sabino é mais uma de suas obras que a crônica e o discurso coloquial estão presentes. Na obra o discurso é feito em 3º pessoa, e tem elementos como psicologismo e o fluxo de consciência do personagem principal, Aldo Tolentino. Fernando Sabino mostra as violências contemporâneas, misturadas com o desejo sexual e ódios tipicamente urbanos que se confundem. No final do livro características como pessimismo são nítidos assim como o existencialismo sobre a vida.

Resumo

A obra A faca de dois gumes narra a história de Aldo Tolentino, 50 anos, viúvo e com um filho do primeiro casamento e dois do segundo. Ele descobre que sua atual mulher, a fútil Maria Lúcia está o traindo com seu sócio e amigo Dr. Marco Túlio. O amante é descrito no livro como “mais baixo, mas desenvolto, bem vestido, queimado de sol, aparência esportiva”. Aldo Tolentino decide se vingar dos dois e bola um plano que ao seu ver era perfeito.

Ele forja uma viagem de trabalho para São Paulo, pega um avião e ao chegar na cidade se hospeda em um hotel. Com documentos falsos, ele sai do hotel sem que ninguém note, volta para o Rio de Janeiro e vai para sua casa. Chegando lá ele flagra a mulher infiel com o amigo na cama e mata os dois. Com o álibi perfeito, ele nunca seria suspeito e volta então para São Paulo tranquilamente. Porém, o que ele não esperava era que seu filho Paulo Sérgio, que chegou em casa de madrugada e encontrou os dois corpos, se tornasse o principal suspeito da polícia. Paulo Sérgio é acusado, e desolado se suicida na cadeia. Aldo Tolentino sofre então com a faca de dois gumes, matou aqueles que o traíram, e como preço teve seu filho preso por um crime cometido pelo pai e morto.

Autor

Fernando Sabino nasceu em Belo Horizonte, MG, em 1923, e faleceu em 2004 no Rio de janeiro, foi um grande escritor e jornalista, redigindo diversas crônicas, artigos e contos. Formou-se em Direito na Faculdade Federal do Rio de Janeiro, em 1946, na época já havia trabalhado no jornal Folha de Minas, e posteriormente virou colaborador do jornal Correio da manhã, onde conheceu e se tornou amigo de Vinicius de Moraes. “Encontro marcado” (1956) é uma de suas obras mais famosas, ganhando inclusive versões para o exterior. O livro “O grande mentecapto” de 1979 lhe rendeu o prêmio Jabuti. Fundou a editora “Sabiá” em 1967, em conjunto com Rubem Braga.

COMPARTILHE