O Renascimento foi um movimento intelectual, artístico, literário e científico que ocorreu inicialmente na Itália e posteriormente na Europa Ocidental nos séculos XIV, XV e XVI. Durante o Renascimento houve uma revalorização da cultura greco-romana, cujas obras inspiraram artistas e escritores que rejeitavam a mentalidade medieval e buscavam reviver a riqueza da Antiguidade Clássica.

A Idade Moderna

Os primeiros fatores do Renascimento foram a expansão do comércio, o crescimento urbano, a influência da cultura bizantina, a valorização do uso da razão, o humanismo, o mecenato e a tradição clássica italiana. A cidade-berço do Renascimento foi Florença.

Podemos dizer que o humanismo foi a característica principal do Renascimento. Os humanistas concebiam um mundo cujo elemento mais importante era o homem e o conjunto de suas criações. A isso chamamos de antropocentrismo – o homem como centro de todas as coisas. Essa concepção do mundo opunha-se àquela que se havia estruturado durante a Idade Média, o teocentrismo – Deus como centro de tudo o que existe. O humanismo também valoriza a razão e a ciência para explicar os fenômenos da natureza, até então explicados pela fé. Daí também podemos concluir que o racionalismo era uma característica marcante do movimento renascentista.

A escola de Atenas, de Rafael Sanzio, é uma famosa pintura renascentista e ótimo exemplo do fascínio que a cultura clássica exerceu no século XVI: Uma reunião de filósofos, tendo Platão e Aristóteles ao centro.
A escola de Atenas, de Rafael Sanzio, é uma famosa pintura renascentista e ótimo exemplo do fascínio que a cultura clássica exerceu no século XVI: Uma reunião de filósofos, tendo Platão e Aristóteles ao centro.

A ação dos mecenas (o mecenato) contribuiu bastante para o Renascimento. Os mecenas eram homens ricos, papas, reis, bispos, nobres e burgueses que patrocinavam as obras de artistas e intelectuais da época. Os mecenas apoiavam estudos literários e científicos, funavam bibliotecas, embelezavam igrejas e palácios, eram verdadeiros protetores da cultura renascentista.

Alguns mestres do Renascimento artístico e literário merecem comentários:

Leonardo da Vinci (1452-1519), italiano, era pintor, escultor, engenheiro, poeta, filósofo, estudioso da anatomia, da filosofia e da medicina. Conseguiu resumir em si mesmo o espírito de curiosidade e investigação próprio da época. Pintou duas obras conhecidas: Monalisa (ou Gioconda) e Santa Ceia;

A Monalisa, de Da Vinci, um dos mais famosos quadros de toda história da arte.
A Monalisa, de Da Vinci, um dos mais famosos quadros de toda história da arte.

Michelangelo (1475-1564), italiano, era pintor, escultor, arquiteto, engenheiro, poeta e cientista. Esculpiu Moisés e Pietá, pintou o teto e as paredes da Capela Sistina, no Vaticano;

William Shakespeare.
William Shakespeare.

William Shakespeare (1564-1616), dramaturgo inglês, escreveu obras que até hoje são encenadas nos teatros do mundo, tais como: Hamlet, Ricardo III, Otelo, Romeu e Julieta, Sonhos de uma Noite de Verão, Macbeth etc;

Miguel de Cervantes.
Miguel de Cervantes.

Miguel de Cervantes (1547-1619), escritor espanhol, autor da obra Dom Quixote de la Mancha;

Diogo Velásquez (1599-1660), pintor espanhol, autor das obras As Meninas, Os Bêbados, Esopo etc.;

Luís Vaz de Camões (1524-1580), poeta português, autor de Os Lusíadas;

Rembrandt (1609-1669), pintor holandês, são de sua autoria Lição de Anatomia, A Ronda Noturna e Samaritano.

No renascimento científico, vale ressaltar as contribuições de:

Nicolau Copénico (1473-1543), astrônomo polonês, comprovou a teoria heliocêntrica no livro Das revoluções dos corpos celestes;

Galileu Galilei.
Galileu Galilei.

Galileu Galilei (1564-1642), italiano, era físico, matemático e astrônomo. Aperfeiçoou o telescópio, descobriu as leis da queda dos corpos, anunciou o princípio da inércia, inventou o termômetro e a balança hidrostática. Confirmou a validade da teoria heliocêntrica de Copérnico;

Miguel Servet (1511-1553), médico anatomista espanhol, descobriu a circulação do sangue pulmonar;

André Vesálio (1514-1564), belga, foi o maior anatomista do século XVI. Praticou a dissecação do corpo humano;

Isaac Newton.
Isaac Newton.

Isaac Newton (1642-1727), inglês, era matemático, físico e astrônomo. Descobriu as leis da gravitação universal e da decomposição da luz.

COMPARTILHE