Chamou-se de Revolução Industrial o conjunto de transformações sociais, políticas e econômicas resultantes do advento da indústria em meados do século XVIII, inicialmente na Inglaterra e, a partir do século XIX, em outros países do mundo. Com a invenção e o uso da máquina surgiam as primeiras fábricas, a produção em série, a ampliação do sistema capitalista e um grande desenvolvimento tecnológico.

A Idade Contemporânea

Alguns fatores colaboraram para que a Revolução Industrial se iniciasse na Inglaterra: o grande acúmulo de capital proveniente do intenso comércio, muitas minas de carvão, a farta mão de obra nas cidades inglesas, consequente do crescimento populacional, a presença de bons portos espalhados no país e um forte sistema bancário.

A indústria têxtil foi a primeira a se beneficiar dos avanços da Revolução Industrial.
A indústria têxtil foi a primeira a se beneficiar dos avanços da Revolução Industrial.

As primeiras máquinas eram movidas a vapor e as primeiras fábricas eram de fiação e tecelagem. As matérias-primas utilizadas inicialmente no processo de industrialização foram o carvão e o ferro. Essas características marcaram a primeira fase da Revolução Industrial ou a Primeira Revolução Industrial.

Em meados do século XIX, o desenvolvimento industrial expandiu-se pela Europa, América e Ásia, até o Japão. Acontecia então a Segunda Revolução Industrial, caracterizada pelo uso do aço como elemento básico, da eletricidade e do petróleo em substituição ao vapor e ao carvão; pela produção em larga escala e especialização do trabalho; pelo surgimento de novas formas de organização industrial como os trustes e os cartéis etc.

Alguns inventos surgidos durante a Revolução Industrial foram:

  • A máquina a vapor, inventada por Thomas Newcomen e aperfeiçoada por James Watt;
  • A locomotiva, por George Stephenson;
  • A máquina de fiar, por James Hargreaves;
  • O tear mecânico, por Edmund Cartwright;
  • O automóvel, por Daimler e Benz;
  • O telefone, por Graham Bell;
  • A lâmpada de iluminação, por Thomas Edson;
  • O projetor de cinema, por Lumiére;
  • O telégrafo sem fio, por Marconi.
O motor a vapor de James Watt, alimentado principalmente com carvão, impulsionou a Revolução Industrial no Reino Unido e no resto do mundo.
O motor a vapor de James Watt, alimentado principalmente com carvão, impulsionou a Revolução Industrial no Reino Unido e no resto do mundo.

As consequências da Revolução Industrial foram muitas e se fazem sentir até hoje. Algumas delas foram: o surgimento de grandes complexos industriais, a melhoria constante dos meios de transporte e de comunicação, a ampliação das descobertas nas áreas médica e farmacêutica, o crescimento das cidades, o fortalecimento do poder econômico, social e político da burguesia, o nascimento da classe operária, formada pelos trabalhadores das indústrias e o neocolonialismo.

Durante muito tempo o trabalho operário foi explorado pelos donos das fábricas. Os trabalhadores tinham de cumprir uma longa jornada de trabalho diário sem receber o salário equivalente às horas trabalhadas. Isto ocorreu porque não havia, até meados do século XIX, em vários países industrializados, uma legislação adequada aos novos tipos de trabalho e de trabalhador das indústrias e também porque a oferta de mão de obra era muito grande. Para conseguir melhores salários e condições de vida, os trabalhadores criaram os sindicatos operários. Além dessas organizações defensoras dos direitos da classe operária, surgiram também algumas doutrinas sociais que analisaram a organização da sociedade industrial capitalista e a exploração da classe trabalhadora. Essas doutrinas ou teorias buscavam soluções para contradições entre capital e trabalho e os antagonismos entre capitalistas e trabalhadores. Eram as teorias do liberalismo econômico e do socialismo.

No século XIX, as nações industrializadas europeias saíram numa corrida expansionista em busca de novas fontes de matérias-primas, novos mercados consumidores, mão de obra barata e do estabelecimento de pontos estratégicos de caráter militar, em outros continentes. Da Europa, a burguesia industrial dirigiu-se para a Ásia e Oceania e conquistou colônias. A essa nova corrida colonial deu-se o nome de “neocolonialismo” ou “imperialismo”. As nações colonialistas eram Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália e o continente, o mais dominado, foi a África. As nações que mais colônias tiveram na época foram Inglaterra e França.

O processo de descolonização africana e asiática somente ocorreu na segunda metade do século XX, após o fim da Segunda Guerra Mundial.

COMPARTILHE

Faça seu comentário