A Revolução Francesa foi um movimento ocorrido na França nos últimos dez anos do século XVIII e que provocou diversas transformações, não apenas sociais e políticas, mas também econômicas em vários países da Europa e da América. Foi uma revolução liderada pela burguesia francesa com o objetivo de derrubar o absolutismo monárquico, a política mercantilista e o poder da Igreja Católica. Os revolucionários franceses, a partir de 1789, colocaram por terra tudo aquilo que representava o chamado “Antigo Regime”.

A Idade Contemporânea

As causas principais da Revolução Francesa foram:

  • O absolutismo da dinastia Bourbon, que dava muitos privilégios à nobreza e ao clero católico;
  • A crise financeira em que a França se encontrava, acentuada por excessivos gastos da corte e pela má administração dos monarcas;
  • A influência dos ideais de liberdade defendidos pelos iluministas;
  • O movimento de independência dos EUA;
  • A desigualdade social resultante da vigência dos inúmeros privilégios exclusivos do clero e da nobreza, em detrimento da burguesia (o Terceiro Estado, na hierarquia social);
  • As insatisfações da burguesia enriquecida, que pagava altos impostos e não participava das decisões políticas;
  • A composição e o funcionamento dos Estados Gerais, uma assembleia consultiva convocada muito esporadicamente pelo rei para votação de alguma proposta antes de tornar-se lei. Vale comentar que os Estados Gerais eram compostos pelas três camadas ou ordens da sociedade francesa: o clero era o Primeiro Estado, a nobreza era o Segundo Estado e a burguesia (representava o povo) era o Terceiro Estado. A contagem dos votos era feita por camada social ou ordem e não por cabeça, levando sempre a uma votação favorável ao rei, já que os votos do Primeiro Estado, somados com os do Segundo Estado eram em número maior do que os do Terceiro Estado.
Quadro retratando a convocação dos Estados Gerais em 1789, um dos eventos que iniciaram a Revolução Francesa.
Quadro retratando a convocação dos Estados Gerais em 1789, um dos eventos que iniciaram a Revolução Francesa.

Todos esses fatores levaram à eclosão da Revolução Francesa, que pode ser dividida em quatro momentos ou fases:

  • A Assembleia Nacional Constituinte (1789-1791), marcada pela tomada da Bastilha, prisão que simbolizava a opressão do absolutismo francês. O povo libertou os presos em 14 de julho de 1789. Outro fato importante dessa primeira fase foi a promulgação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, documento escrito que estabelecia os direitos de liberdade e igualdade de todos os homens perante a lei.
  • A Assembleia Legislativa (1791-1792), o principal acontecimento foi a tentativa de se restabelecer o regime absolutista na França, principalmente por parte de nobres que haviam fugido para outros países europeus e contavam com a ajuda de exércitos austríacos e prussianos.
  • A Convenção Nacional (1792-1795), marcada pela proclamação da República, pela formação de grupos políticos com ideologias diversas – jacobinos, girondinos e planície -, mas todos de origem burguesa e pela radicalização das propostas revolucionárias. Foi dessa fase a prisão e execução do rei Luís XVI e da rainha Maria Antonieta e a vigência da ditadura de Robespierre, fatos que ajudaram a classificar esse período como o do “Terror”.
  • O Diretório (1795-1799), fase final da Revolução Francesa, caracterizou-se por um governo composto por cinco membros – cinco “diretores” – auxiliados pelo Conselho de Anciãos (poder judiciário) e pelo Conselho dos Quinhentos (poder legislativo). Foi nesse período que começava a despontar, primeiro comando de tropas francesas em conflito com exércitos estrangeiros, um dos maiores líderes políticos da história contemporânea: Napoleão Bonaparte.

A Revolução Francesa teve inúmeras consequências sociais, políticas e ideológicas, que até hoje agem pelo mundo. Merecem destaque: a ascensão da burguesia ao poder político, a divulgação do lema dos revolucionários franceses, “liberdade, igualdade e fraternidade”, adotado por vários movimentos liberais a partir do século XIX, entre os quais os movimentos republicanos e os de abolição da escravatura nas colônias.

COMPARTILHE