A partir do século XV e durante o século XVII, os portugueses, os espanhóis, os ingleses, os franceses e os holandeses empreenderam grandes viagens marítimas em direção a lugares pouco conhecidos ou mesmo desconhecidos do mundo. Essas viagens ampliaram os horizontes geográficos e as transações comerciais e ficaram conhecidas como as Grandes Navegações da Idade Moderna.

A Idade Moderna

Alguns fatores contribuíram para a realização das Grandes Navegações, a saber:

  • A busca de um caminho marítimo para as Índias – era nas Índias que se encontravam os produtos mais lucrativos para os europeus: as especiarias, os tecidos de seda, perfumes, marfim, joias etc. Esses produtos lhes eram revendidos pelos turcos em Constantinopla, pelos italianos em Veneza e Gênova e pelos árabes, que tinham um verdadeiro monopólio do comércio asiático e estipulavam, por isso, os preços dos produtos como bem entendessem, aliás, os mais caros da época. A tomada de Constantinopla pelos turcos em 1453 piorou essa situação, pois eles passaram a controlar quase totalmente o comércio entre Oriente e Ocidente. A solução para os comerciantes da Europa Ocidental era buscar um novo caminho marítimo para as Índias e escapar dos abusos de preços dos comerciantes turcos;
  • O fortalecimento do poder real – os reis e a burguesia apoiavam e patrocinavam as viagens marítimas com o intuito de aumentar seus poderes e prestígio;
  • A influência da burguesia – os burgueses saíam em busca de novas terras para conseguir mercadorias vendáveis na Europa e geradoras de lucros. Com isso pretendiam aumentar seu poderio econômico e melhorar cada vez mais a sua posição social;
  • As grandes invenções e os novos conhecimentos científicos – a caravela, a bússola, o papel de trapos, a imprensa, a elaboração de novos mapas geográficos, tudo isso colaborou para o aperfeiçoamento da arte da navegação marítima.
Descobrimentos Marítimos.
Descobrimentos Marítimos.

Portugal encontrava-se numa situação privilegiada para realizar viagens marítimas e foi o primeiro país a fazê-las na época. As causas do pioneirismo português foram: a boa situação geográfica do país, de “janela” para o Oceano Atlântico, a estabilidade política, a ausência de guerras, o incentivo dado pela rica burguesia lusitana e a crença na propagação da fé cristã aos povos desconhecidos. Assim, os portugueses iniciaram o “ciclo oriental dos descobrimentos” costeando o continente africano até atingir as Índias. Algumas viagens portuguesas foram: a conquista de Ceuta (1415), o contorno do Cabo da Boa Esperança, por Bartolomeu Dias (1488), o descobrimento do caminho marítimo para as Índias, por Vasco da Gama (1498) e o descobrimento do Brasil, por Pedro Álvares Cabral (1500).

A Espanha iniciou suas viagens marítimas somente na última década do século XV. Isto porque os espanhóis estavam em luta contra os árabes e só os expulsaram de seu país em 1492, sob o comando do rei Fernando e da rainha Isabel. A partir daí, a Espanha dedicou-se às navegações, e seus monarcas acreditaram no plano de viagem do navegador genovês Cristóvão Colombo, que se baseando na ideia da Terra esférica, pretendia dar a volta ao mundo saindo da Europa em direção ao Ocidente, para atingir as Índias. Levou seu projeto adiante e, equipado com três embarcações (“Santa Maria”, “Pinta” e “Nina”), Colombo chegava à América em outubro de 1492, na região central do continente, acreditando ter aportado nas Índias. Anos mais tarde, o fato foi esclarecido por Américo Vespúcio, companheiro de viagens de Colombo. Em sua homenagem, o Novo Mundo foi chamado de América.

Acima frota de caravelas. No detalhe Cristóvão Colombo.
Acima frota de caravelas. No detalhe Cristóvão Colombo.
Fernão de Magalhães.
Fernão de Magalhães.

A Espanha patrocinou outras viagens marítimas, como a primeira rota de circunavegação iniciada por Fernão de Magalhães e concluída por Sebastião de Elcano (entre 1519 e 1522). Vasco Nunes de Balboa atingiu o Oceano Pacífico, Ponce de León chegou à Flórida, na América do Norte. Franceses e ingleses realizaram viagens marítimas tentando atingir as Índias pelo noroeste do Atlântico e descobriram muitos territórios na América do Norte. Já os holandeses iniciaram suas viagens somente no século XVII e atingiram lugares na América do Norte, na América do Sul (Brasil) e na Oceania.

As consequências das Grandes Navegações foram: o deslocamento do eixo econômico do Mediterrâneo para o Oceano Atlântico, a entrada de produtos coloniais na Europa, o estabelecimento de colônias de exploração e de povoamento na América, o restabelecimento da escravidão como regime de trabalho, utilizando índios e negros como escravos dos colonizadores brancos, e a imigração de europeus para a América.

COMPARTILHE

Faça seu comentário