A civilização islâmica teve sua origem no povo árabe, na Península Arábica, durante a Idade Média.

Islamismo é o nome da religião criada por Maomé no século VII e hoje é uma das religiões mais seguidas no mundo, principalmente nos países de origem e formação árabe.

Antes de Maomé, os árabes não possuíam unidade política e viviam em tribos chefiadas por xeques. Eram politeístas, rendiam homenagens a uma pedra negra num templo chamado Caaba, na cidade de Meca.

A história do islamismo conta que Maomé, um caravaneiro, teve, por volta dos 40 anos, uma revelação através do anjo Gabriel que dizia existir apenas um único deus verdadeiro, Alá. A partir daí, Maomé passou a pregar a nova crença, foi seguido por uns e perseguido por outros. As perseguições a Maomé o obrigaram a fugir de Meca para Medina, em 632. Esse ano marcou o início do calendário muçulmano, e a fuga de Maomé para Medina chamou-se de hégira.

O profeta Maomé em ilustração de um manuscrito otomano do século XVII.
O profeta Maomé em ilustração de um manuscrito otomano do século XVII.

A partir daí os árabes se converteram ao islamismo, foram unificados politicamente, passaram a ser governados por califas e formaram com o passar do tempo um grande império. O Império Árabe ou Islâmico compreendia territórios na Ásia (Síria, Palestina, Pérsia, Índia), na Europa (Espanha) e na África (Egito, Argélia, Marrocos). Um dos fatores da expansão do Império Islâmico foi a “guerra santa”, feita em nome de Alá.

O islamismo é uma religião monoteísta contendo elementos do cristianismo e do judaísmo. Alguns de seus fundamentos: a crença em um único deus, Alá, fatalismo, imortalidade da alma, juízo final e predestinação. Os seguidores do islamismo chamam-se islamitas, muçulmanos ou maometanos. Seu livro sagrado é o Alcorão, que contém os ensinamentos do profeta Maomé.

A cultura islâmica recebeu influência de vários elementos de outras culturas, entre eles, gregos, persas, egípcios, hindus, hebreus, ibéricos etc.

Na arquitetura encontramos construções de mesquitas (templos islâmicos) e palácios decorados com mosaicos e arabescos. Os arabescos eram figuras geométricas, inscrições e flores imaginárias.

Na literatura ficaram conhecidas algumas obras como: Rubayat, de Omar Kayyam e As Mil e Uma Noites, coletânea de contos cujos autores são desconhecidos.

Os árabes desenvolveram algumas ciências, como: astronomia, matemática, química e medicina. Vale destacar que na matemática divulgaram os algarismos arábicos, tomados dos hindus, e estudaram a trigonometria e a álgebra.

Não podemos esquecer que os árabes, hábeis comerciantes, viajavam por vários lugares do mundo e trouxeram algumas invenções do Oriente para o Ocidente, muito utilizadas até hoje: a bússola, a pólvora e o papel.

COMPARTILHE

Faça seu comentário