Os primeiros anos de regime monárquico no Brasil, após a proclamação da independência, não foram tranquilos, principalmente porque o imperador D. Pedro I governou de forma muito autoritária. Em 1823, formou-se uma Assembleia Constituinte com a finalidade de elaborar a primeira Constituição do Brasil.

Porém, os projetos de lei desagradaram ao imperador, porque propunham algumas limitações ao seu poder e valorizavam o poder Legislativo. Em outras propostas, os constituintes diminuíam a participação dos comerciantes portugueses e aumentavam a dos fazendeiros no que se referia às eleições e ao exercício de cargos públicos. Diante disso tudo, D. Pedro I dissolveu a Assembleia Constituinte e assumiu a tarefa de elaborar ele próprio a nova Carta Constitucional apoiada por alguns brasileiros por ele convocados. Assim, a nova Constituição foi outorgada em 1824.

Charge de Angelo Agostini satirizando as posições políticas de José Bonifácio.
Charge de Angelo Agostini satirizando as posições políticas de José Bonifácio.

D. Pedro I, durante os nove anos de seu governo, enfrentou alguns outros problemas, e vale a pena mencionar a Confederação do Equador e a Guerra Cisplatina.

A Confederação do Equador foi uma revolta ocorrida nas províncias do norte e nordeste do Brasil, de caráter liberal e republicano, que se manifestou contra o fechamento da Assembleia Constituinte de 1823 e a imposição da Constituição de 1824 ao País. Os revoltosos foram reprimidos pelas forças imperiais e alguns de seus líderes, condenados à pena de morte.

A Guerra Cisplatina foi um conflito ocorrido na antiga Colônia de Sacramento, atual Uruguai. Essa região havia sido colonizada pelos espanhóis, mas, por razões políticas e econômicas, fora invadida em 1816 por tropas enviadas por D. João VI. A partir dessa ocupação pelos brasileiros a região passou a se chamar Província Cisplatina.

Mas, em 1825, os habitantes cisplatinos reagiram contra tudo isso e declararam a região e parte da Argentina livres do Brasil. Diante dessa situação, D. Pedro I mandou tropas de combate para lutar contra a decisão dos cisplatinos e contra a Argentina. Finalmente, as partes em conflito assinaram um acordo de paz sob intermédio da Inglaterra, e a região passou a ser uma nação independente com o nome de República Oriental do Uruguai.

COMPARTILHE