A Revolução Pernambucana de 1817 foi um movimento de caráter liberal e republicano. Os revoltosos pernambucanos queriam libertar-se de Portugal e tinham como fonte de inspiração a Revolução Francesa, de 1789, e a independência dos Estados Unidos, de 1776.

As causas principais desse movimento revolucionário em Pernambuco foram: o aumento de impostos, a seca ocorrida em 1816, a queda dos preços dos principais produtos agrícolas de Pernambuco, o açúcar e o algodão, no mercado internacional.

Havia clima de revolta contra o governo de D. João VI. Entre os revoltosos havia intelectuais, padres e militares que chegaram mesmo a propor a proclamação da República, a abolição de impostos, a elaboração de uma Constituição e a formação de um governo provisório, sem sucesso. D. João VI reagiu severamente e enviou tropas para combater os rebeldes. Estes foram atacados e reprimidos violentamente.

Momentos da Revolução Pernambucana - acima, sentenciamento de envolvidos à pena de morte e, ao lado, padres ostentando a bandeira do movimento.
Momentos da Revolução Pernambucana – acima, sentenciamento de envolvidos à pena de morte e, ao lado, padres ostentando a bandeira do movimento.

Os líderes foram condenados à morte. Mais uma vez, o governo português, então aqui instalado, venceu e conseguiu manter-se no poder sob o uso do mesmo método utilizado em outras ocasiões em que fora posto em cheque pelos brasileiros: a força bruta.

COMPARTILHE