Grêmio Estudantil

Quem é estudante sabe das dificuldades que encontramos cotidianamente dentro das escolas: faltam laboratórios, as quadras esportivas estão sempre danificadas, não há atividades culturais e profissionais, as salas de aula não tem ar condicionado, faltam bebedouros, a proposta pedagógica deixa a desejar e os professores parecem desmotivados.

Você sabia que por intermédio do grêmio estudantil é possível resolver esses problemas? O estudante pode e deve transformar a sua escola.

Com a formação de um grêmio, os estudantes têm voz na administração da escola, apresentam suas ideias e opiniões que podem melhorar a instituição.

Mas toda mudança exige comprometimento e responsabilidade. O grêmio estudantil precisa defender os interesses dos estudantes e firmar parceria com todos aqueles que participam da escola

A participação estudantil dentro do grêmio é o primeiro contato que temos com a política. É a partir daí que começamos a ter conhecimento de como ela intervém em nossa sociedade e como podemos transformar o mundo em um lugar melhor para todas e todas.

Monte um grêmio em cinco passos

  1. O grupo que pretende formar o grêmio comunica à direção da escola, divulga a proposta entre os alunos, convidando os interessados e os representantes de classe (se houver) para formar a Comissão Pró-Grêmio. Este grupo elabora uma proposta de estatuto que será discutida e aprovada pela Assembleia Geral.
  2. A Comissão Pró-Grêmio convoca todos os alunos da escola para participar da Assembleia Geral. Nesta reunião, decide-se o nome do grêmio, o período de campanhas das chapas, a data das eleições e se aprova o Estatuto do Grêmio. Nessa reunião também são definidos os membros da Comissão Eleitoral.
  3. Os alunos se reúnem e formam as chapas que concorrerão à eleição. Eles devem apresentar suas ideias e propostas para o ano de gestão no Grêmio Estudantil. A Comissão Eleitoral promove debates entre as chapas, abertos a todos os alunos.
  4. A Comissão Eleitoral organiza a eleição (o voto é secreto). A contagem é feita pelos representantes de classe, acompanhados de dois representantes de cada chapa e, eventualmente, dos coordenadores pedagógicos da escola. No final da apuração, a Comissão Pró-Grêmio deve fazer uma Ata de Eleição para divulgar os resultados.
  5. A comissão Pró-Grêmio envia uma cópia da Ata de Eleição e do Estatuto para a direção da escola e organiza a cerimônia de posse da diretoria do Grêmio.

*A cada ano reinicia-se o processo eleitoral a partir do item 3.

O que fazer…

se a direção escolar não permite a fundação do grêmio ou quer escolher os representantes do grêmio por conta própria?

Apresente a direção da escola a Lei nº 7.398, conhecida como a lei do Grêmio Livre, ela garante a livre organização dos estudantes secundaristas dentro das instituições de ensino.

quando a escola não disponibiliza uma sala para reuniões do grêmio?

Caso a escola não tenha uma sala para disponibilizar aos gremistas, ao menos deve ser cedida uma para que as reuniões aconteçam.

com os recursos captados pelo grêmio?

Esses recursos podem ser utilizados para organizar e promover atividades ou eventos do Grêmio. Por exemplo: comprar material para o cenário de uma peça de teatro, comprar um computador para a sala do Grêmio, um aparelho de som, promover uma excursão para um museu, entre outros.

com os materiais que o grêmio adquire?

Quando uma diretoria encerra seu mandato e outra assume, os bens adquiridos permanecem no Grêmio Estudantil. Estes bens formam o patrimônio do Grêmio. No final de cada mandato ele será averiguado pelo conselho fiscal.

Documentos

Veja aqui modelo de estatuto e as atas necessárias para o processo de eleição do Grêmio Estudantil. As atas são os registros dos principais pontos decididos em reuniões, eleições e Assembleias Gerais. Elas devem ser registradas em um livro específico, com páginas numeradas.

Fonte: UBES

COMPARTILHE