Biografia de Michel Temer.

Michel Temer (1940) é um político brasileiro, tomou posse como presidente da República depois que o senado aprovou o impeachment de Dilma Rousseff.

Michel Temer nasceu na cidade de Tietê, no interior de São Paulo, no dia 23 de setembro de 1940. Filho de Miguel Elias Temer Luila e March Barbar Lulia, imigrantes libaneses que chegaram ao Brasil em 1925. Com 16 anos resolveu estudar na capital paulista onde concluiu o curso médio. Em 1959 ingressou na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Depois de formado, Michel Temer trabalhou como advogado trabalhista em um Sindicato de São Paulo. Em 1964 foi nomeado oficial de gabinete de Ataliba Nogueira, seu antigo professor da USP, na época, Secretário de Educação de Ademar de Barros. Em 1968 passou a lecionar Direito Constitucional na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em 1969 foi professor assistente de Geraldo Ataliba na disciplina de Direito Constitucional na Faculdade de Direito de Itu. Em seguida, passou a professor titular da mesma cadeira.

Ainda em 1969, foi aprovado no concurso público para o cargo de procurador do Estado de São Paulo. Em 1974 concluiu o doutorado em Direito Público na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Entre 1975 e 1977, Temer foi o vice-diretor da Faculdade de Itu. Entre 1977 e 1980 foi o diretor da mesma instituição. Em 1978 foi nomeado procurador-chefe da Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo. Sua carreira acadêmica se estendeu até 1984.

Em 1981, Michel Temer filiou-se ao PMDB. Em 1983 foi convidado pelo governador Franco Montoro para ocupar a Procuradoria Geral do Estado de São Paulo. No ano seguinte assumiu a Secretaria de Segurança Pública do Estado. Em 1985 criou a Primeira Delegacia da Mulher, institui a Delegacia de Proteção aos Direitos Autorais, importante instrumento contra a pirataria, e a Delegacia de Apuração de Crimes Raciais.

Em 1986, deixa a procuradoria para concorrer ao cargo de deputado federal constituinte pelo PMDB. Elege-se e após o período da Constituinte, é reconduzido ao cargo de deputado federal por cinco vezes. Em 1992 licenciou-se para reassumir a Secretaria de Segurança Pública, no governo de Luiz Antônio. De volta à Câmara dos Deputados, ocupa a presidência da Casa em 1997, 1999 e 2009. Em 2001, é eleito presidente nacional do PMDB.

Em 2010, Michel Temer foi eleito Vice-Presidente da República, na chapa de Dilma. Assumiu também a articulação política do governo. Em outubro de 2014, Dilma e Temer foram reeleitos para o segundo mandato, numa disputa acirrada. Em março de 2015, a Secretaria de Relações Institucionais foi extinta pela presidente e as funções da secretaria foram transferidas para Temer.

Com a crise política e econômica que se instalou no país, com a corrução generalizada denunciada pela “Operação Lava-Jato”, em agosto de 2015, Temer comunicou seu afastamento da articulação política. No dia 2 de dezembro, o presidente da Câmara aceitou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma. Em março de 2016, o PMDB deixou a base do governo para apoiar o processo de impeachment que tramitava na Câmara dos Deputados.

No dia 17 de abril de 2016, com 367 votos favoráveis e 137 contrários, a Câmara dos Deputados aprovou o relatório do impeachment e autorizou o Senado Federal a julgar a presidente por crime de responsabilidade. Iniciada no dia 11 de maio de 2016 e concluída na madrugada do dia 12 de maio, o Senado determinou o afastamento de Dilma, numa sessão que durou 22 horas, por 55 votos a favor e 22 contra.

No dia 12 de maio de 2016, Michel Temer assumiu interinamente a Presidência do Brasil, se tornando o 37º mandatário da República, ainda sem receber a faixa presidencial, até que o Congresso realizasse o julgamento que afastaria definitivamente a presidente. No dia 31 de agosto de 2016, após a aprovação do impeachment da presidente Dilma, Michel Temer tomou posse como Presidente da República, se tornando o 14º a assumir o cargo sem ter sido eleito diretamente pelo povo.