A música é a arte de combinar os sons de modo agradável à audição humana. Ela é também uma forma de comunicação, utilizada pelas pessoas há milhares de anos. Acredita-se que, na Pré-História, o ser humano já utilizava a música em rituais religiosos, marcando o ritmo com as mãos e os pés.

"A música é o tipo de arte mais perfeita: nunca revela o seu último segredo." - Oscar Wilde
“A música é o tipo de arte mais perfeita: nunca revela o seu último segredo.” – Oscar Wilde

Os elementos da música

  • Melodia – é a sequência de sons de diferentes alturas e durações. Costuma ser considerada o elemento mais marcante da música, que nos permite reconhecê-la entre as outras.
  • Ritmo – é a repetição dos sons em intervalos regulares, como as batidas que marcamos com o pé. Pode ser lento, moderado ou acelerado. É a estrutura rítmica da música que a identifica como uma valsa, um jazz, um samba, etc.
  • Harmonia – é a sucessão simultânea e combinada dos sons. É ela que realça o que o compositor quis expressar na música.

A escrita musical

A música utiliza a grafia musical, um sistema de sinais para colocar os sons no papel. Desse modo, quem vai executar a música pode ler, no papel, e reproduzir com sons o que o compositor criou.

O conjunto de sinais usados para representar os sons é chamado notação. A folha de papel em que o músico registra a notação é chamada partitura. A partitura é composta de pentagramas ou pautas, conjuntos de cinco linhas horizontais. No pentagrama são representadas graficamente as notas e os demais sinais, que indicam a altura dos sons, sua colocação na sequência de sons, sua duração, etc.

Outro elemento importante do pentagrama é a clave, símbolo colocado no lado esquerdo da pauta e que determina o nome das notas. Existem três tipos de clave: de sol, de fá e de dó.

O canto

A voz humana é o mais antigo meio de se fazer música. Em todas as épocas e lugares houve cantores cuja voz foi valorizada por suas características especiais.

Os cantores utilizam recursos para obter determinados efeitos em sua voz. Esses recursos são:

  • Intensidade (suave, forte, sussurrada, etc.);
  • Tempo (lento, rápido, etc.);
  • Timbre (nasal, áspero, claro);
  • Altura (grave, aguda, média).

As vozes masculinas são mais graves que as vozes femininas e podem ser classificadas em tenor (a mais aguda entre os homens), barítono (intermediária) e baixo (a mais grave entre os homens). As vozes femininas classificam-se em soprano (a mais aguda entre as mulheres), meio-soprano (intermediário) e contralto (a mais grave entre as mulheres).

Os instrumentos musicais

Um instrumento musical é um objeto capaz de produzir sons para fins musicais. Existem instrumentos construídos exclusivamente para se fazer música. Exemplos: violão, pandeiro, piano, tambor, etc.

Existem também instrumentos que não foram feitos com esse fim, mas que se tornam instrumentos musicais graças à criatividade do instrumentista. Exemplos: caixas de fósforo, garrafas, placas de metal, vagens com sementes secas, etc.

Os gêneros musicais

Ao longo do tempo, as diferentes culturas humanas desenvolveram inúmeros gêneros musicais. Podemos aprender a ouvir este ou aquele gênero, mas, de maneira geral, a escolha do gênero é determinada pelo gosto pessoal.

Em nossa cultura existem, por exemplo, a chamada música erudita, que teve compositores europeus de destaque, como Mozart (1756-1791) e Beethoven (1770-1827); a música folclórica (bumba-meu-boi, capoeira, maracatu, polca, etc.), que é o conjunto das canções tradicionais de um povo; a música popular (samba, rock’n roll, jazz, rap, bossa nova, sertaneja, etc.); a música sacra, de temas religiosos; a música eletrônica, na qual os sons são reproduzidos eletronicamente, etc. Existem vários outros critérios para definir gêneros musicais.

COMPARTILHE

Faça seu comentário